Minha Casa Minha Vida agora é Casa Verde e Amarela

Você já ouviu falar do novo programa habitacional do Governo Federal chamado Casa Verde e Amarela? O programa que veio substituir o Minha Casa Minha Vida, conta com algumas melhorias e outras características herdadas do MCMV. Separamos as principais informações para você entender o que mudou entre os dois programas e se informar sobre os detalhes.

Quais as diferenças entre o Casa Verde e Amarela e o Minha Casa Minha Vida?

Basicamente, a principal diferença é que não existe mais a Faixa de renda 1, que considerava a renda mensal familiar até R$1,8 mil. Com MCMV, não havia juros para esse primeiro grupo e as prestações iam até R$270. Agora com o programa Casa Verde e Amarela essa faixa passa a englobar o Grupo 1, que é semelhante à Faixa 1,5 do MCMV, para renda mensal de até 2,6 mil. Os juros agora são de, de 5% a 5,25% para não cotistas e 4,5% a 4,75% para cotistas nas regiões do Sul, Sudeste e Centro Oeste. Já no Norte e Nordeste, as porcentagens de juros caem para 4,75% a 5% para não cotistas e 4,25% a 4,5% para cotistas.

Ou seja, hoje todas as faixas de renda são obrigadas a pagar juros, que são sempre menores nas regiões Norte e Nordeste. As faixas de renda, que antes eram divididas em 4 faixas, agora são distribuídas em 3 grupos, como você pode ver a seguir na tabela comparativa:


Outra grande diferença do Casa Verde e Amarela é que além do financiamento do imóvel, é possível usar o benefício para melhorias na moradia e regularização fundiária, incluindo medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que têm por finalidade conter núcleos urbanos informais, onde muitas vezes a moradia não é adequada nem do ponto de vista da saúde.  Alguns exemplos de itens que podem ser melhorados pelo programa são: moradias sem banheiro, sem telhado, falta de esgoto e água encanada.

Quais as principais vantagens do Casa Verde e Amarela?

– Taxas de juros bem abaixo do mercado: variando de acordo com a renda mensal familiar, estado e cidade que deseja adquirir um imóvel.

– Facilidade no financiamento e subsídio do governo: é possível financiar a casa ou apartamento em até 360 meses e parte do valor será pago pelo governo.

– Sair do aluguel: com o valor que seria destinado ao aluguel, é possível pagar as parcelas e no final ter uma casa ou apartamento próprios.

E aí gostou do nosso conteúdo? Conte para nós nos comentários se você pretende financiar um imóvel através desse programa.