Investir em loteamentos continua sendo a melhor opção

Quando investigamos quais os fatores interferem na decisão de uma pessoa na hora de fazer um investimento podemos citar: rentabilidade, segurança e liquidez, entre vários outros motivos que contribuem para a tomada da decisão. Apesar deles serem os mesmos, as perspectivas e visões sobre esses aspectos mudam de acordo com o perfil de investidor.
Para os perfis mais arrojados importa a rentabilidade, mesmo com o risco de perda de capital, é alguém que enxerga a longo prazo. Para os conservadores, aplicações seguras são as mais procuradas, mesmo que não retornem em rendimentos tão expressivos. O meio termo entre os dois perfis é o moderado. Mais versátil, ele procura decidir de acordo com o cenário e varia prazos, segurança e rentabilidade.

Mas porque começar este material falando sobre os perfis de investidores e não de negócios?

Desde a queda da Taxa Selic e a baixa rentabilidade da poupança, o perfil de investimento dos brasileiros está mudando. A migração para diversas oportunidades mais rentáveis fica ainda mais clara em momentos em que a economia desacelera. Deixar dinheiro parado nunca foi uma estratégia inteligente, porém, no atual cenário, ela parece algo a ser ainda mais desestimulado.

O mercado imobiliário se apresenta nesse quadro como uma das opções mais interessantes e oportunas se investir. O setor é um dos que não demonstram sofrer com a volatilidade do cenário atual, no que diz respeito à perda de rentabilidade e valores investidos. Com os olhares dos investidores voltados para o planejamento e para o futuro, as grandes apostas são as aquisições de terrenos e loteamentos ou imóveis ainda na planta.

O que considerar na escolha de um loteamento?

A vantagem de escolher um loteamento é que, diferente de grandes terrenos, toda a infraestrutura já está pronta – como ruas e redes de esgoto e de energia. As recomendações para compra não mudam, mesmo agora. É preciso estar atento às projeções de valorização do local e pesquisar sobre o histórico da empresa responsável pelo loteamento e a documentação sobre o investimento. Procurar por oportunidades fora das capitais é uma alternativa interessante. Por exemplo, no interior do Estado de São Paulo estão ótimas opções de negócios, em cidades que demonstram excelentes potenciais de crescimento e valorização.

Apresentamos aqui 12 empreendimentos, em nove cidades diferentes: Ribeirão Preto, Brodowski, Batatais, Altinópolis e Cravinhos, na macrorregião de Ribeirão Preto, Porto Ferreira, na região central, e Pereira Barreto, Ilha Solteira e Bady Bassit no Oeste paulista.

Quem vem de São Paulo e acessa Ribeirão Preto via Anhanguera (SP-330) passa por duas dessas cidades no caminho: Porto Ferreira e Cravinhos. A primeira é considerada capital da cerâmica, pertence à Região Central e abriga o empreendimento Parque Santo Afonso, com localização privilegiada e acesso fácil por duas avenidas.

Já o Bella Cravinhos é pensado para quem busca qualidade de vida. Distante apenas 15 quilômetros da agitada Ribeirão Preto, o empreendimento tem extensa área verde, com lotes a partir de 200m² e infraestrutura completa, com pista de caminhada, academia ao ar livre e ciclovia.

Para quem não abre mão de morar ou investir em Ribeirão Preto, o Valência Residencial está localizado na região mais valorizada da Zona Sul, próximo a Bonfim Paulista. O residencial fechado oferece lotes de 250 a 644m² para morar e de 300 a 1.174m² para negócios.

Em Brodowski, os destaques são o Jardim Fortaleza e o Jardim Quebec. Bairros planejados, com toda infraestrutura em uma região que está em pleno desenvolvimento. O município fica a 35km de Ribeirão Preto e 65km de Franca, dois importantes centros comerciais e industriais. Ainda na mesma região estão o Vila Toscana, em Altinópolis, cidade que se destaca pelas riquezas e belezas naturais, e o Jardim Canadá e o Jardim Veneza, em Batatais.

Na região noroeste do Estado de São Paulo está o Jardim Tangará, em Bady Bassit, a 10 km de São José do Rio Preto. Mais à oeste estão Jardim Tóquio e Villa das Flores, em Pereira Barreto, cidade com mais de 25 mil habitantes, e Ilha do Sol, em Ilha Solteira, importante centro universitário com campus da Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).